Belviq - Aprovado novo tratamento de obesidade

Belviq - Tratamento de Obesidade

A ANVISA aprovou, recentemente, o registro do Belviq (cloridrato de lorcasserina hemihidratado).

O novo medicamento é oferecido em comprimidos revestidos, e é utilizado para o tratamento da obesidade, associado a uma dieta de redução calórica e ao aumento de atividade física.

Belviq – Indicação

O Belviq (cloridrato de lorcasserina hemihidratado), é indicado para pacientes com índice de massa corporal (IMC) igual ou superior a 30. Ele também pode ser indicado para pessoas com sobrepeso (IMC) maior ou igual a 27, na presença de pelo menos uma comorbidade relacionada ao peso, como hipertensão, dislipidemia, doença cardiovascular, diabetes tipo 2 ou apneia do sono.

Esse é o segundo remédio com essa indicação a ser aprovado pela ANVISA em 2016, totalizando quatro medicamentos disponíveis no país para o  tratamento de obesidade, cloridrato de lorcasserina hemihidratado, orlistat, sibutramina e liraglutida.

Segundo especialistas, o mecanismo de ação da lorcasserina é diferente dos demais disponíveis no mercado.

É o único que irá agir especificamente no receptor de serotonina, que fica no hipotálamo, o centro principal de controle de balanço energético, aumentando a produção do hormônio melanocortina, que traz uma redução da fome.

Devido à maior especificidade em seu mecanismo de ação, aparenta ter menos efeitos colaterais, como dor de cabeça, boca seca e constipação intestinal.

Fabricação do Belviq

O Belviq será fabricado por Arena Pharmaceuticals – Suíça. E a detentora do registro do medicamento no Brasil é a empresa Eisai Laboratórios Ltda., localizada em São Paulo (SP).

O novo medicamento deve ser tarja vermelha, sujeito à receita médica. Atualmente, aguarda-se apenas a aprovação do preço para a liberação da comercialização do Belviq no território nacional.

Belviq – Tratamento de Obesidade

A obesidade é uma das doenças crônicas com maior prevalência mundial. Ela é considerada uma desordem com múltiplas causas, e está associada a várias doenças. Além disso, a obesidade é um importante fator de risco para o desenvolvimento de diabetes.

A expectativa para comercialização do Belviq no Brasil é muito grande, mas a indicação deve ser avaliada pelo especialista, e seu uso mediante prescrição médica.

Para que os resultados sejam satisfatórios e haja um emagrecimento saudável, o tratamento de obesidade deve ser aliado a uma mudança no estilo de vida, associado à dieta e exercícios físicos.

Informações sobre como comprar Belviq?

Entre em contato conosco para saber mais sobre o Belviq e os trâmites para realizar a importação do medicamento.

A MHM possui fornecedores estratégicos nos Estados Unidos e na Europa.  Assessoramos nossos clientes em todas as etapas para a importação do Belviq para todo o Brasil.

Salientamos que é imprescindível a avalição e prescrição do seu médico.

Telefones

Telefones: (31) 3022-9435 e (31) 98435-1645

Leia também:

Mevatyl: medicamento à base de maconha permitido no Brasil Pela primeira vez no Brasil, a ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou o registro de um medicamento feito à base de Cannabis sativa: o Mevatyl (ou Sativex, como é conhecido no exterior).Ele é um medicamento indicado para tratar ...
Colonoscopia Virtual no Câncer Colo Retal A incidência do câncer colo retal, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA), é de 34.280 casos só neste ano e o maior índice de mortes é na população feminina. Para que o câncer colo retal seja curado, há necessidade de um diagnóstico preciso e ...
Xalkori – Tratamento Oral para Câncer de Pulmão Os Laboratórios Pfizer acabam de anunciar a aprovação no Brasil de seu medicamento Xalkori (Crizotinibe) para o Câncer de Pulmão.Inclusive ela foi reconhecida como droga órfã (única) para o tratamento de primeira e segunda linha desse tumor (tumo...
EPIPEN: Caneta de Adrenalina que Salva-Vidas O Epipen é um medicamento composto a base de Epinefrina (adrenalina) para tratamento emergencial em casos de anafilaxia.Atualmente, observa-se um aumento de casos de alergias graves com anafilaxia na população brasileira desencadeada por diversos...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *